Pesquisar
Close this search box.

Unidade de Vigilância de Zoonoses explica o que é a esporotricose felina e como combater

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Você já ouviu falar da esporotricose? Para quem ainda não sabe, é uma das doenças que acometem os gatos que mais merece atenção. A micose é causada por um fungo que pode provocar vários problemas para os pets – e até para nós humanos, pois se trata de uma doença infecciosa que pode ser transmitida entre animais e pessoas.

Segundo a Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ) de Araucária, a comprovação do primeiro caso de esporotricose felina no Município aconteceu em novembro de 2020. De lá até a presente data, foram registrados 127 casos notificados, sendo destes 91 casos confirmados de esporotricose felina no município. Ainda conforme a UVZ, de 2020 a 2023 foram registrados 8 casos em humanos, associados ao contato com gatos acometidos.

Casos de Esporotricose Felina

(de novembro de 2020 a 18/04/23)

Unidade de Vigilância de Zoonoses explica o que é a esporotricose felina e como combater
Unidade de Vigilância de Zoonoses explica o que é a esporotricose felina e como combater 1

Como combater

Em humanos, a principal medida de prevenção e controle a ser tomada é evitar a exposição direta ao fungo. É importante usar luvas e roupas de mangas longas em atividades que envolvam o manuseio de material proveniente do solo e plantas, bem como o uso de calçados em trabalhos rurais. Uma boa higienização do ambiente pode ajudar a reduzir a quantidade de fungos dispersos e também novas contaminações.

A UVZ orienta que se o animal de estimação apresentar a doença, deve ser isolado e receber o tratamento indicado pelo médico veterinário, não devendo ser abandonado, maltratado ou sacrificado. Caso o animal morra, seu corpo deverá ser incinerado e não jogado no lixo, nem deixado ou enterrado em terrenos baldios, pois a contaminação do solo irá manter o ciclo da doença.

O ideal é que os gatos não saiam de casa, evitando assim que contraiam esta ou outras doenças e as transmitam, tanto para humanos como para outros animais. A castração auxilia a manutenção de gatos no ambiente domiciliar.

Medidas preventivas

Após receber a notificação de casos suspeitos encaminhados por médicos veterinários do município para a realização de exame diagnóstico de ani-mais, a UVZ faz orientação inicial aos tutores de gatos que suspeitem de esporotricose para diagnóstico. Fornece ainda medicamentos para tratamento de animais confirmados; realiza estudo epidemiológico da distribuição da doença para adoção de medidas específicas direcionadas a áreas alvo (busca ativa, educação em saúde); e realiza o descarte de carcaças.

As pessoas que quiserem mais informações sobre a esporotricose poderão entrar em contato pelo fone 3614-7767.

Edição n. 1361