Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Amanhã quem acorda primeiro liga pro outro mesmo que sem graça
Amanhã quem acorda primeiro liga pro outro mesmo que sem graça

Quem tem uma pequena empresa sabe a dificuldade que é para conseguir bons clientes. É o trabalho do departamento comercial. Para cada nova possibilidade de negócios é preciso agendar com o potencial cliente, esperar o momento para que ele o atenda e, enfim ofertar seu produto ou serviço. Um processo demorado e, por vezes pouco produtivo, mas essencial.

Agora imagine a oportu­nidade de falar com quase cinquenta empresas de uma vez só, todos no mesmo lugar e todos muito aten­tos ao que você tem a dizer. Parece bom, não é? foi exatamente o que aconteceu na Primeira Sessão de Negócios, evento promovido pela cooperativa Sicredi Araucária e a Prefeitura Municipal, através da Companhia Municipal de Desenvolvimento (Codar) e organizado pelo Serviço Brasileiro de Apoio à Pequena Empresa, Sebrae, e que aconteceu na sede da Associação dos Empresário da Cidade Industrial de Araucária (Aeciar), na terça, dia 19 de abril.

Com este formato, onde pequenos ofertam para pequenos, é o primeiro feito no município. A Associação Comercial de Arau­cária (Aciaa), em anos anteriores e a própria Codar, mais recentemente, já haviam promo­vido algumas rodadas de negócios com empresas âncora, onde fornecedores menores poderiam ofertar para compradores de grandes empresas como a CSN, Risotolândia ou Petrobras.

Dinâmico

Desta vez o evento foi focado apenas nos micro e pequenos empreendedores. Quarenta e nove empresas foram devidamente cadastradas, organizadas e separadas em sete mesas, levando em conta seus ramos de atuação para que não houvesse repetição de setor na mesma mesa. Quando se inicia a rodada cada representante tem dois minutos para apresentar seu produto ou serviço aos seis demais. Em seguida o mediador passa para a próxima empresa e assim por diante até que todos tenham se apresentado.

Quando termina esta rodada de apresentações, conforme a programação, os representantes vão para outra mesa e se inicia nova rodada. Esse processo aconteceu até que todos puderam se apresentar para todos. “É muito rápido, mas o objetivo é apenas quebrar o gelo e trocar cartões entre as empresas. Se o potencial cliente se mostrar interessado, o vendedor vai agendar uma visita com mais calma na própria empresa do cliente”, explica Virgínia Algayer, do Sebrae.

Fechar negócios

“O que nós queremos é que as empresas façam negócios. Já fizemos essa tipo de evento em outros municípios e os resultados foram muito bons”, diz Alex Ferreira da Luz, do Sicredi. Embora o evento tenha sido organizado pelo pessoal do Sebrae, toda a estrutura e a escolha das empresas foi feita em parceria com a Codar e o Sicredi.

Participaram do evento empresas de ramos muito variados, indo desde auto escolas, papela­rias, móveis sob medida, tatuagem, jornal, escolas de idiomas entre outros. “Ao final as empresas irão receber uma lista completa com todos os participantes e os contatos”, conta Fernanda Karas, da Codar que lembra que, ao contrário de outros eventos, a participação nesta sessão de negócios não teve custos aos participantes. O que ela não disse, e que chama a atenção é que, ainda mais em tempos de crise, com todas essas possibilidades de fazer novos negócios e não ter custos, algumas empresas que estavam confirmadas simplesmente não apareceram.


Texto: Carlos do Valle / fotos: carlos do valle

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM