Araucária respondeu rápido à crise do Covid-19 | Araucária
Compartilhe esta notícia:
Foto: Carlos Poly
E/D
Marcos Paulo Chemplik, Assistente Adm. Sirlei P. da Silva, Aux. de Enfermagem. Katia Renata A. Kochla, Resp. Téc. da Enfermagem. Vera Lucia Carvalho, Téc. de Enfermagem. Samoel L. dos Santos, Enfermeiro. Denilza M. Brito, Téc. de Enfermagem. Laila Salete de Souza, Téc. de Enfermagem. Luana G. P. Cordeiro, Téc. de Enfermagem. Adriana A. da Silva, Téc. de Enfermagem. Abaixados e/d: Josiane Correia, Aux. de Enfermagem. Antônio Cuim de Brito, Médico. Vandressa B. Santana, Téc. de Enfermagem. Rogerio R. Rocha, Médico.

EDIÇÃO ESPECIAL DE ANIVERSÁRIO – 131 ANOS

Ciente da situação preocupante na Europa e o significativo aumento no número de casos de coronavírus no país, em março de 2020 a prefeitura municipal criou o Comitê de Prevenção, Acompanhamento e Ameaça do Coronavírus para gerenciar todas as ações de combate à disseminação do Covid-19. As ações do comitê se pautaram em recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e em constantes diálogos com o governo estadual e outras prefeituras da região metropolitana.

Quando os primeiros casos do novo coronavírus começaram a surgir no município no início do mês de abril, os atendimentos dos adultos com sintomas da doença eram feitos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no bairro Costeira, em uma área isolada e com um centro de triagem externo. Nesse meio tempo, um hospital de campanha já estava sendo preparado, nas instalações do antigo NIS para atendimento exclusivo dos pacientes com sintomas de síndromes gripais e problemas respiratórios, o que inclui casos suspeitos do novo Coronavírus Covid-19.

Em maio, o Centro Especial de Combate ao Coronavírus Sandra Maria Aparecida Ribeiro (CECC) foi inaugurado. O centro recebeu esse nome em homenagem à funcionária de um supermercado local que morreu vítima de um tiro acidental, durante uma discussão entre um cliente – que se recusou a usar máscara – e o segurança do estabelecimento.

O CECC conta com cinco leitos de emergências, sendo dois leitos para estabilização (sala vermelha) e três para pacientes graves (sala amarela), além de dois leitos de isolamentos, tanto para paciente com baixa suspeita de Covid ou para isolamento devido a outras necessidades. Mais seis leitos de observação femininos e sete masculinos, totalizando 20 leitos. O Centro funciona 24 horas por dia, com equipes médicas, enfermeiros, técnicos e auxiliares, e tem por objetivo principal o atendimento primário para evitar que casos considerados leves e moderados evoluam para um quadro mais grave. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, já foram realizados cerca de 40 mil atendimentos desde a inauguração do CECC.

A prefeitura também dispôs de uma linhas direta para a população tirar suas dúvidas com os profissionais de saúde sobre a Covid-19, o Disk-Corona 0800 642 5250. O que chama a atenção, segundo a secretaria de saúde, é que muitas pessoas ligam relatado crises de ansiedade, desenvolvimento da síndrome do pânico, angústia, depressão, medo de se contaminar e contaminar pessoas da família. Inclusive a UPA registrou um grande aumento no número de atendimentos relacionados a crises de ansiedade.

São 6 equipes de enfermeiros e técnicos, equipe de plantão médico em média 5 médicos, 4 equipes de higienização, 4 equipes de fisioterapia, além da equipe administrativa e da farmácia. Isso dentro do CECC, fora contamos com o pessoal da manutenção, laboratório, secretaria de Saúde, unidades de saúde e demais serviço prestadores

Vacinas

O Plano Municipal de Imunização depende do envio de doses por parte do Ministério da Saúde. “Os municípios não podem comprar as vacinas, então dependemos exclusivamente dessas remessas. No momento estamos finalizando o primeiro grupo definido pelo Plano Nacional de Imunização, que são idosos em asilos e profissionais de saúde”, explica o secretário municipal de saúde Adilson Seidi Suguiura. Para a segunda etapa, que prevê a vacinação de idosos, a secretaria está no aguardo do breve envio de novas doses. Até o fechamento dessa edição 1.437 pessoas haviam sido vacinadas, o que representa cerca de 1% da população.

O secretário alerta que apesar da chegada da vacina, ainda teremos alguns meses de enfrentamento à doença. “As pessoas precisam continuar se cuidando. Essa doença é perigosa, ela tem levado muitas pessoas embora. Mas eu tenho as esperanças renovadas a cada dia. Acredito que depois do terceiro trimestre vamos começar a vencer essa batalha e retomar nossa vida normal, gradativamente”, diz. Segundo ele, para o serviço público o coronavírus foi e tem sido um grande desafio, pois foi algo inédito em todo o mundo. “Nem os países mais desenvolvidos sabiam o que e como fazer. Tivemos que nos reinventar, reaprender e trabalhar incansavelmente. Essa lição vai ficar depois que tudo isso acabar”.

Médico Ortopedista, acos­tumado à rotina de consultórios e hospitais, o secretário exaltou o trabalho das equipes de saúde no município, em todas as unidades, em todas as frentes de atuação: “Temos um time de heróis, desde o pessoal da limpeza, a recepção, as equipes de saúde. São profissionais exemplares e extremamente comprometidos com o propósito de salvar vidas. A eles a minha eterna admiração e gratidão”.

Texto: Rosana Claudia Alberti

Compartilhe esta notícia:


Aproveite, cadastre seu email para receber novidades!

, , , , ,