Com a pandemia, igrejas tiveram que se reinventar para chegar até os fiéis | Araucária
Compartilhe esta notícia:
A transmissão das celebrações pelas redes sociais ajudou a confortar as pessoas. Foto: Marco Charneski

EDIÇÃO ESPECIAL DE ANIVERSÁRIO – 131 ANOS

A pandemia mexeu com a fé. As igrejas e os templos foram obrigados a interromper as missas e os cultos. Casamentos, batizados e celebrações foram suspensos ou adiados.

Para chegar até os fiéis, tão desamparados e necessitado de consolo e conforto, nesse momento difícil, muitas igrejas migraram para o ambiente virtual e começaram a transmitir suas celebrações em tempo real, pelas redes sociais. Isso não é novidade pois existem vários canais religiosos na tevê aberta e nas plataformas digitais, mas não é o da sua igreja, do seu culto, daquele padre ou pastor que você conhece e respeita.

Foto: Marco Charneski

Frei Diego da Igreja Católica do Bom Jesus da Costeira, diz que logo depois da volta das celebrações havia muita emoção. “As pessoas choravam ao comungar, pois elas sentiam falta daquele momento semanal, daquele encontro com Deus, daquele ato de fé”.

Na Primeira Igreja Pentecostal Filadélfia, o pastor Josué e seus fiéis também migraram para os cultos com transmissão pelas redes sociais. “Foi uma maneira de estarmos presentes na casa da pessoas preenchendo aquela lacuna. Mas para nós foi mais fácil porque temos os encontros de estudos em células com poucas pessoas, e no início elas participam por vídeo conferência”, explica.

O fato é que as mídias digitais estão para ajudar e tanto o frei Diego quanto o pastor Josué acreditam que as transmissões devam continuar para atender as pessoas que estão acamadas, em viagens e os idosos. “Se a tecnologia nos aproxima , não podemos desdenhar dela”, diz o pastor.

Texto: Rosana Claudia Alberti

Compartilhe esta notícia:


Aproveite, cadastre seu email para receber novidades!

, , , ,