Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

A doceira Janete Martins, moradora do Costeira, foi mais uma vítima do racismo. No dia 8 de fevereiro a araucariense recebeu a visita de uma mulher que teria ido até sua casa fazer uma encomenda, mas quando viu que ela era negra, foi embora. “Tenho 44 anos e sou doceira há oito, e esta foi a primeira vez que sofri este tipo de preconceito. Essa mulher veio até minha casa, fui até o portão recebê-la e ela perguntou se eu era a proprietária. Quando disse que sim, ela me olhou dos pés a cabeça e comentou que uma amiga tinha me indicado, mas que esta amiga não teria mencionado que eu era de cor. Então ela entrou no carro e foi embora. Fiquei sem chão, sem saber o que fazer na hora e meus olhos se encheram d’água. E eu que sempre comentava com minha filha que se um dia sofresse algum tipo de preconceito, tomaria uma atitude de imediato”, disse Janete.

Se não bastasse a atitude racista da suposta cliente, na sexta-feira, dia 17, Janete acordou com outra triste surpresa. Ela recebeu um bilhete que a deixou chocada, com o seguinte teor: “Passei aqui na sua casa só para deixar um recadinho, “fada dos doces” como tem gente sínico, você sabe que a maioria das pessoas branca, não gostam de gente de cor como você, pena que poucas tem coragem que tenho, a maioria dis não ser racista, a verdade é que nem um branco da o mesmo valor a uma pessoa de cor. Você nunca vai ganhar como um branco, nunca terá o mesmo valor de um branco, nunca será recebida igual uma de nós branca, tenho um conselho para você. Aceita que é melhor você nunca será igual nos branco, carrega no sangue o DNA de um escravo e sempre será tratado como tal….”

Viralizou

Após o recebimento do bilhete racista, a filha de Janete postou nas redes sociais e contou sobre o preconceito sofrido pela mãe. “Depois da publicação, muitas pessoas estão me procurando, não apenas de Araucária, mas de vários cantos do país, pra me dar apoio”, contou a doceira. Uma destas mensagens diz o seguinte: “Triste ter pessoas, se é que estas podem ser chamadas assim, que ainda têm atitudes repugnantes. Janete Martins foi a responsável por fazer de um dos dias mais importantes da minha vida, meu casamento, maravilhoso! Possui um trabalho impecável, delicioso e de qualidade. Além de ser uma pessoa incrível! Toda preocupada em fazer cada detalhe sair como eu sonhava em ser! Obrigada por exercer sua profissão com tanto amor. Não se sinta atingida por algo que não merece sequer que dê ouvidos!”

O bilhete acabou viralizando nas redes sociais e Janete espera que tudo isso possa servir de exemplo para que outras pessoas vótomas de preconceito não fiquem caladas.

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM