O mais votado

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp

No conjunto de seus 28 anos como parlamentar suas campanhas totalizaram 11.392 votos, dando uma pela outra 1.627 votos por mandato, nada mal, e isto atestava sua liderança dentro do grupo que dominou a politica local nas ultimas décadas, e por isso mesmo era dono de um naco do governo quando seu grupo estava empoderado. Prático na vida repetia: basta 2% dos votos pra se eleger e que não agradaria todo mundo. Foram 7 campanhas ininterruptas no período compreendido entre 1992 ate 2016, aos duvidosos, podem conferir total de votos e ano nesta sequencia:- 862 / 1992, 1.415 / 1996, 1.176 / 2000, 2203 / 2004, 1798 / 2008, 2197 / 2012 e finalmente 1741 / 2016.

Devido seu perfil pacato e afável no trato com as pessoas era um mediador nato para contemporizar as intrigas e picuinhas tão costumeiras do meio que se propaga aos quatro ventos. Vivia e respirava politica, quem não se lembra das piscinas de bolinhas que levava nas casas do eleitor, ou então no seu salão de festas domiciliar aonde um suculento churrasco nos era oferecido. Foi um dos notáveis do Grupo Politico conhecido como “a máquina” e por alguns períodos comandou nossa Casa de Leis. Certa vez o professor Jair do PT, assíduo questionador dos hábitos políticos da cidade perguntou? Você não tem vergonha de empregar a própria sogra ? Betão lhe devolveu:- e você queria que eu empregasse a sua?

Betão enquanto esteve entre nós, pela força das urnas formou com Clodoaldo, Josué, Irineu Cantador e Olizandro o famoso quinteto do Grupo Politico comandado por Zezé que para manter essa liderança dividia o mando de prefeito com o quinteto dando origem a famosa “máquina” dos áureos tempos de Zezé. Na famosa eleição de 2004 Zezé se vendo encurralado sabiamente caiu fora do pleito no ultimo minuto com a também famosa frase “Zezé é Olizandro” e em 2006 a então poderosíssima maquina se dividiu em duas, uma com Olizandro de cabeça e outra com um machucado Zezé na liderança, e em ambas Betão soube tirar proveito politico pela sua insaciável capacidade de adaptação ao Poder. Finalmente virou prefeito quando muitos da classe ganharam de mimo do Judiciário uma vistosa tornozeleiras e durante os últimos 11 dias de 2016 exerceu o cobiçado CARGO.

Texto: EDILSON BUENO

Publicado na edição 1263 – 27/05/2021

O Popular do Paraná é o jornal mais antigo de Araucária, na RMC. Circula ininterruptamente desde 21/04/1998. Sua edição impressa vai aos pontos de venda sempre às quintas-feiras.

© Todos os direitos reservados 2021