Policiais militares salvam bebê que engasgou com leite materno

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email
Policiais militares salvam bebê que engasgou com leite materno

“Deus colocou anjos de farda, que vieram em minha direção para salvar a minha filhinha”. Foi com este depoimento emocionado que Francisca de Oliveira, agradeceu aos policiais militares que salvaram sua bebezinha, de apenas 19 dias. A criança havia acabado de mamar, foi colocada pela mãe no bercinho após arrotar, mas acabou se engasgando com o leite materno. O fato aconteceu na tarde de terça-feira, 28 de janeiro, por volta das 16h30, na rua Gavião, bairro Capela Velha, quando a PM fazia um patrulhamento de rotina naquela região.

A viatura foi abordada por um familiar de Francisca, que pedia socorro porque a filhinha recém-nascida, estava sem respirar e com uma coloração roxa. Os soldados Pereira e Oliveira, imediatamente realizaram os primeiros socorros. Pereira pegou a criança nos braços e a colocou de bruços e com uma das mãos iniciou a manobra de Heimlich, uma técnica que limpa as vias aéreas, ajudando a desengasgar uma pessoa. Em segundos a bebezinha expeliu um pouco de leite e voltou a respirar, retomando a cor normal. Em seguida veio o choro, que deixou todos aliviados. O Siate chegou cinco minutos depois, fez novos procedimentos, e retirou mais um pouco de leite dos pulmões da criança, que foi levada para o Hospital Municipal de Araucária, onde passou por alguns exames. “Fiquei desesperada, saí gritando na rua, pedindo socorro, graças a Deus os policiais vieram rápido e conseguiram evitar o pior. Não tenho palavras para agradecer, agora estou mais tranquila, minha bebê está bem. Agradeço primeiramente a Deus, aos policiais, ao Samu que veio rápido e a toda a equipe do HMA, que foram muito atenciosos com a gente”, declarou Francisca.

Acostumados a enfrentar situações de violência na sua rotina de trabalho, os soldados Oliveira e Pereira não tiveram palavras para expressar o que sentiram naquele momento. “Depois que passa o susto a gente se emociona em lembrar que a criança conseguiu ter a vida de volta. Para nós é uma experiência que, certamente, ficará marcada para sempre”, relataram.

Texto: Maurenn Bernardo

Foto: Everson Santos

Publicado na edição 1197 – 30/01/2020