Pesquisar
Close this search box.

Pratense defende obrigatoriedade da frequência em autoescolas para obtenção da CNH

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

á 25 anos no mercado, o Centro de Formação de Condutores- CFC Pratense se tornou referência em ensino de qualidade e confiabilidade. Sempre investindo na segurança de seus alunos, a autoescola busca inovações constantes, no intuito de formar condutores conscientes e realmente aptos a enfrentar o trânsito. Não é à toa que ao longo de sua existência já formou um número expressivo de alunos que, após formados, fazem o chamado “marketing boca-a-boca”, ajudando a empresa a crescer.

Os diretores da Pratense, Silvestre Mafra (diretor geral) e Maria Luiza Horning Mafra (diretora de ensino) afirmam que os alunos que passaram pela Pratense e saíram satisfeitos, exercem um papel fundamental na divulgação dos serviços, ampliando a credibilidade da empresa perante o público. Por isso que eles acreditam que uma das melhores maneiras de escolher uma autoescola de confiança é fazendo uma pesquisa de opinião com os alunos e ex-alunos que passaram pela instituição. Caso a pessoa não conheça alguém que tenha frequentado a autoescola de seu interesse, também é possível buscar opiniões nas redes sociais do estabelecimento ou em sites como o do Procon ou Reclame Aqui, procurando avaliações sobre todos os aspectos.

“Quanto mais opiniões você conseguir, mais fácil será tomar a decisão certa. A Pratense tem sido privilegiada nesse sentido, tanto em propagandas feitas pelos próprios alunos e ex-alunos, quanto em pesquisas de opinião em sites”, asseguram.

Importância dos CFC’s

Silvestre enfatiza que as autoescolas ou Centros de Formação de Condutores são credenciadas para capacitar condutores e futuros condutores por meio de aulas teóricas e práticas, conforme descrito determina a legislação de trânsito. Diz ainda que o processo para emitir a CNH não é simples, são pelo menos seis fases com custos diferentes, que são obrigatórias. Nesse processo, existem alguns prazos e todos os interessados devem contar com a ajuda de uma autoescola, ou seja, de um local que se responsabilize a ensinar o aspirante a condutor e ainda resolva todos os processos burocráticos. “Por esses fatores, acreditamos não ter fundamento o Projeto de Lei 4474/20, que torna facultativa a frequência em autoescolas para a obtenção da CNH”, sustenta.

Ele reforça ainda que a dúvida sobre a obrigatoriedade ou não da frequência em autoescolas para obtenção da CNH começou a trazer reflexos negativos. As discussões em torno do tema começaram no final de 2019, quando foi lançado o Projeto de Lei que hoje tramita no Senado Federal e ganharam força no final do ano passado, quando o Conselho Nacional de Trânsito (Contran), na época liderado pelo ex-ministro da Infraestrutura Marcelo Sampaio, tentou tornar o curso teórico facultativo no processo de formação de condutores.

“Infelizmente isso refletiu no movimento da nossa autoescola e tivemos uma redução considerável de matrículas nesse período. As pessoas estavam cautelosas e preferiram aguardar para ver se realmente a autoescola não seria mais obrigatória e ainda acreditavam que o valor das habilitações seria reduzido. Mas posso afirmar que nenhuma das duas situações se concretizou e, por esse motivo, a autoescola continua obrigatória no processo de formação de condutores”, argumenta Silvestre.

Critérios na escolha

O diretor da Pratense também defende a importância de o cidadão seguir alguns critérios na hora de escolher uma autoescola. O primeiro é checar se o estabelecimento oferece o serviço adequado às suas necessidades, depois é importante conferir se a autoescola está regularizada e cadastrada no Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

“É essencial que o funcionamento da autoescola corresponda aos parâmetros da lei, evitando que o aluno tenha quaisquer surpresas desagradáveis ao longo do processo. Também é importante certificar-se que a autoescola conta com professores qualificados e, por fim, buscar opinião de quem já passou pela autoescola na qual você pretende investir”, aconselha.

Avanços significativos

Desde que foi fundada, em 1º de outubro de 1997, pelos empreendedores Silvestre Mafra e Cicero Carlos Chrun, até os dias atuais, a Pratense Auto Moto Escola já apresentou inúmeros avanços. O mais significativo foi a mudança de sede, em 2016, passando de um espaço modesto na Avenida Victor do Amaral, no Centro, para uma estrutura bem mais ampla, moderna e confortável na rua Major Sezino Pereira de Souza, também no Centro.

“Nos mudamos para um espaço bem maior, investimos no bem estar dos alunos e passamos a atendê-los com mais qualidade. Temos estacionamento próprio, que faz muita diferença, tanto para nossa equipe de colaboradores quanto para os alunos”, comenta Silvestre.

Na Pratense os alunos encontram serviços como primeira habilitação, alteração de categoria, adoção de nova categoria, reabilitação de condutor e reabilitação de permissionário, renovação de CNH, segunda via de CNH, emissão da CNH definitiva e inclusão EAR. A autoescola trabalha com crediário próprio e parcelamento sem juros e demais formas de pagamento como dinheiro, cartões de crédito e débito e PIX. “Além disso, se o atendimento for consistentemente bom, a fidelização é uma grande perspectiva para o negócio”, reforça o diretor.

Pratense defende obrigatoriedade da frequência em autoescolas para obtenção da CNH
Pratense está no mercado há 25 anos e já formou milhares de motoristas.

Serviço

A Pratense Auto Moto Escola fica na Rua Major Sezino Pereira de Souza, 628, Centro. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h e aos sábados das 8h às 12h. Os telefones de contato são: (41) 3642­-3894 / (41) 99976-5290. Acompanhe a autoescola nas redes sociais @cfcpratense.