Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Todo cão deve ser vacinado para garantir sua proteção e dos demais animais. Foto: divulgação

Araucária vem apresentando diversos casos de cinomose em cães e a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA) faz um alerta sobre a gravidade da doença e a importância da vacinação para a redução do contágio e do número de casos. A cinomose é uma doença transmitida pelas secreções oriundas do nariz e boca do animal doente para o saudável. O que favorece a transmissão da doença são os períodos de tempo seco, sendo mais frequente em cães de três a seis meses de vida e acima de 8 anos de idade.

“O animal doente apresenta alguns aspectos clínicos, que variam conforme a sua imunidade, sendo os mais comuns a falta de apetite, crostas no focinho e nos coxins, tosse, secreção ocular e nasal, vômito, diarreia. No estágio mais avançado aparecem problemas neurológicos, muito mais graves e debilitantes, tais como espasmos musculares, convulsões, tetraplegia, sendo em muitos casos irreversíveis. Mesmo que o animal sobreviva à doença, as chances de que tenha sequelas são muito grandes, fazendo com que muitas vezes sua qualidade de vida se torne extremamente negativa, podendo vir a ser sugerido a realização da eutanásia para alivio do sofrimento”, explica o veterinário da SMMA, Gustavo Warich. Ele lembra ainda que a única forma de prevenir a cinomose são as vacinas éticas, aplicadas por médico veterinário anualmente.

“Em Araucária estamos diante de uma grande quantidade de casos, por isso, se o morador observar um cão transitório ou comunitário em via pública suspeito da doença, deverá ligar no Departamento Veterinário da SMMA, telefone 3614-7483, para esclarecimentos e providências. Quanto a animais domiciliados, os proprietários deverão procurar atendimento veterinário de maneira particular”, orientou o veterinário.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1294 – 13/01/2022

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM