Vou mudar o cenário dos meus textos. As histórias que eu conto, as analogias que eu faço não serão mais ambientadas em Araucária. A partir de agora escreverei somente sobre as coisas que acontecem em Araulandia. Isto mesmo.. Araulandia. A cidade será a minha Pasárgada. O poeta Manuel Bandeira tinha a dele, eu também quero ter a minha.
 
Em Araulandia, os políticos são mais civilizados. Podem até não ter escrúpulos, no entanto, aceitam com uma maior naturalidade a opinião das outras pessoas. Lá, também existem muitos problemas, como em toda cidade, mas – pelo menos – podemos exercitar a liberdade de expressão sem medo de sermos citados nas tribunas da vida ou ameaçados disso ou daquilo.
 
Araulandia é uma cidade boa pra se viver. Já estive pesquisando. Está em franco crescimento. O município é rico. No entanto, assim como em quase todo o nosso país, muitos dos políticos de lá são menos confiáveis do que seria o desejável. A vantagem é que podemos falar deles sem nenhum tipo de represália. O presidente da Câmara de Vereadores de Araulandia é o senhor Ruim. Ele é um daqueles políticos que não acrescentam nada para a cidade, mas fez acordos que possibilitaram que ele chegasse ao comando do parlamento municipal. O senhor Ruim é um sujeito de fala mansa e discursos prontos. Os mais inocentes até caem na sua lábia num primeiro momento, mas, com o passar do tempo, logo descobrem sua verdadeira faceta. Eu mesmo, assim que vi o senhor Ruim pela primeira vez, até pensei que ele fosse um político diferenciado. Com novas idéias para melhorar a cidade. Enganei-me. Ah, como me enganei…
 
Outra figura interessante de Araulandia é o prefeito: o senhor Alfanor. Ele sempre foi muito bem quisto pelos araulandienses. Ultimamente, entretanto, o homem parece cansado e vem decepcionando os moradores locais, que esperavam mais de sua administração. A qualidade da educação na cidade deixa a desejar, a saúde também, as ruas andam esburacadas e o mato cresce firme e forte, assim como as ocupações irregulares, que se proliferam por determinados bairros da região.
 
Bem, como vocês já devem ter notado, Araulandia não é muito diferente da nossa cidade. É por isso que a escolhi para ambientar minhas histórias. Entretanto, deixo claro que Araulandia é uma coisa, Araucária é outra. Então, amigos leitores, qualquer semelhança entre ambas não passa de mera coincidência.
 
Como diria o Collor, “não me deixem só!”. Comentem este texto

VEJA TAMBÉM

Compartilhe