Nesta segunda-feira, 4 de novembro, a família e amigos do jovem Lucas Eduardo Gonçalves de Lima, de quinze anos, morto na semana passada foi às ruas protestar pela demora da justiça em decretar a prisão do autor do crime. O rapaz estava com um amigo andando de skate na rua e foi morto com um tiro no peito por um homem que parou o carro, iniciou uma discussão boba, sacou uma arma e atirou. O motivo do crime foi fútil, absurdo e, de fato revoltante. Embora esse seja o ritmo em que a justiça trabalha rotineiramente, quando não mais lento ainda, a família não se conformou e decidiu protestar. A expectativa agora é que os poderes constituídos ouçam os gritos de sofrimento desta família e tomem as medidas que já deveriam ter sido tomadas. Como de praxe, O Popular acompanhará os desdobramentos do caso.

Mas não é só de notícias ruins que o jornal vive. Na página quatro desta edição, por exemplo, o leitor pode acompanhar mais um capítulo da história do garoto Samuel Mass de Lima, de quase cinco anos que felizmente vem respondendo satisfatoriamente ao transplante de medula a que foi submetido recentemente. O pequeno passou por uma verdadeira batalha para conseguir encontrar uma medula compatível. E ela veio de longe: da Alemanha. O Popular, que já há algum tempo vem informando aos leitores os desdobramentos do exemplo de vida que se tornou Samuel, segue torcendo por sua recuperação.

Tanto em uma situação, a do crime que matou o jovem Lucas, quanto na busca pela medula para o menino Samuel, é importante ressaltar a força da mobilização da comunidade não só para os casos em si, mas também para a coletividade. No caso de Samuel, as medulas doadas em sua intenção poderão representar a cura de dezenas de outras pessoas mundo afora. Da mesma forma, o protesto da família de Lucas serve para alertar nossas autoridades de que não é aceitável que processos fiquem parados seja na mesa de quem for, pois em cada um desses procedimentos há expectativas de seres humanos, que não podem ser relegada em hipótese alguma. Pensemos nisso e boa leitura
 

VEJA TAMBÉM

Compartilhe