Comprei um bolo. Mandei escrever sobre ele, com chocolate, a seguinte frase: um mês sem resposta!. Estou comendo o bolo enquanto escrevo este texto.
 
Como o bolo exatamente 30 dias depois de ter protocolado na Prefeitura um Processo Administrativo em que pedia ao prefeito Albanor Zezé providências com relação ao episódio ocorrido na Câmara de Vereadores em 24 de março, envolvendo o secretário de Governo, João Lincoln Ferreira Gomes, que armou o maior barraco no parlamento municipal, partiu pra cima do vereador Clodoaldo Pinto Jr, xingando-o e tentando agredi-lo. Uma tremenda baixaria! Protagonizada pelo irmão de Zezé em pleno horário de expediente!
 
Embora o fato tenha sido gravíssimo, até agora ainda não recebi nenhuma resposta do prefeito, a quem dirigi o documento. Confesso que estou um pouco chateado com a situação e começando a achar que o prefeito dá mais bola para o procurador geral, Genésio Felipe de Natividade, do que para mim. Afinal, o pedido de processo administrativo que certa vez Genésio pediu que fosse aberto contra este que vos escreve foi atendido no mesmo dia por Zezé. E olha que o caso não tinha nenhum fundamento, como comprovou mais tarde a Comissão que o apurou.
 
A pergunta que faço é: por quê Genésio é atendido prontamente e eu estou a esperar há mais de 30 dias? Ora, eu moro em Araucária há mais de vinte anos! O Genésio não! Sou funcionário de carreira, entrei pela porta da frente, fiz concurso público. O Genésio não! É cargo em comissão na função de procurador geral, ou seja, não está lá necessariamente por competência. Eu compro no comércio local, o que ajuda a manter os empregos dos moradores daqui. O Genésio não! Eu abasteço meu carro no Posto do Fialla, o que contribui com a geração de impostos municipais. O Genésio não! Meu carrinho 1.0 é emplacado em Araucária, o que garante que 50% do total do meu IPVA venha para a Prefeitura. O carro do Genésio que não é nenhum 1.0 nem emplacado aqui é! O dinheiro do IPTU do terreno onde moro também fica aqui! O do Genésio não! Resumindo, eu contribuo com o desenvolvimento local. Já o Genésio… precisa dizer?
 
É por isso que eu fico chateado com o prefeito quando ele dá mais atenção ao que o Genésio lhe pede do que aquilo que eu solicito. Se eu tivesse maldade no coração, diria até que Zezé está sentado sobre o meu processo de propósito. Mas, com certeza, não deve ser isso, não é pessoal?
 
E, vocês, amigos leitores, acreditam que o prefeito responderá ao meu pedido? Deem sua resposta. Até semana que vem!
 

VEJA TAMBÉM

Compartilhe